top of page
  • Lucas Lima

Como Gal Costa foi essencial para os Novos Baianos

Artista cantou clássicos da banda em shows por anos


Gal Costa em imagem de Marcos Hermes
Gal Costa| Foto: Marcos Hermes

O ano era 1969 quando os Novos Baianos participaram do 5° Festival de MPB da TV Record. Na ocasião, o grupo formado por Luiz Galvão, Paulinho Boca de Cantor, Moraes Moreira, Pepeu Gomes e Baby Do Brasil apresentou ao júri a canção "De Vera". No ano seguinte, com contrato assinado com a gravadora RGE, mudaram-se para São Paulo e gravaram o álbum "É Ferro Na Boneca".


Com pouca repercussão (na verdade, a banda ainda era considerada uma inciativa genérica ao Tropicalismo), os Novos Baianos viram os shows ficarem cada vez mais raros e o contrato com a RGE acabou por chegar ao fim. Entretanto, ganharam mais uma chance, dessa vez com a Phonogram.


Foi no EP "Novos Baianos e Baby Consuelo No Final do Juízo" que o grupo lançou "Dê Um Rolê", canção que simbolizava a esperança perante ao difícil momento em que os músicos passavam. Gal Costa gostou tanto da canção que incorporou não só essa faixa, como também "Tinindo Trincando" no repertório do show Gal A Todo Vapor. Posteriormente, as duas músicas integraram o álbum "Acabou Chorare", considerado um dos mais importantes da cultura brasileira.


A partir daí, os irmãos Pepeu e Jorginho Gomes também passaram a fazer parte da banda de Gal e, posteriormente, criaram um dos mais icônicos grupos da música brasileira, A Cor Do Som, com Baixinho (percussão) e Dadi Carvalho (baixo) - ambos também integrantes da banda da cantora baiana.


Gal Costa continuou cantando por anos os clássicos "Dê Um Rolê" e "Tinindo Trincando" em seus shows. No espetáculo "A Pele do Futuro", lançado em 2019 pela Biscoito Fino, a artista inicia o show com "Dê Um Rolê".


Você pode assistir a este momento na WePlay, a primeira plataforma de streaming de shows brasileiros.


Acesse já e experimente por 7 dias grátis!

20 visualizações
bottom of page