top of page
  • Foto do escritorLucas Lima

As comemorações aos 30 anos de Pato Fu

Banda lança faixas inéditas em comemoração a 30 anos de carreira

Pato Fu em foto de Íris Zanetti
Pato Fu em foto de Íris Zanetti

O Pato Fu é uma das mais importantes bandas da história do rock brasileiro. Com suas peculiaridades, o grupo tem feito vários projetos de sucesso nos últimos 30 anos de estrada, inclusive o Música de Brinquedo, tendo seus dois shows disponíveis na WePlay, a primeira plataforma de streaming de shows brasileiros.


A banda tem preparada várias ações que prometem deixar os corações dos pato fãs quentinhos. Uma delas é a divulgação de faixas inéditas, que estão chegando pouco a pouco aos serviços de streaming.


As últimas foram "Silenciador", "Fique Onde Eu Possa Te Ver" e "Regresso". As novas faixas continuam trazendo mais da experimentação já tradicional do Pato Fu, mas, também – em tom de celebração – incluem memórias de sua carreira na produção e nas letras. Com temas que variam da política a relações interpessoais.


Os músicos comentaram sobre cada faixa:


“Fique Onde Eu Possa Te Ver”, composta pelo guitarrista John Ulhoa, é uma homenagem a amigos e “pessoas que queremos bem”, comenta o artista. “Durante a pandemia vi muitos amigos em meio à depressão, à falta de grana, e ao próprio adoecimento pelo vírus. É uma canção pra mandar um abraço a essas pessoas”, relata ele.


“Como curiosidade, parti de riff de guitarra que compus quando comecei a tocar, há quase 40 anos. Se levar isso em conta, é meu novo recorde de música que levou mais tempo pra ficar pronta!”, também conta Ulhoa.


Composta por Fernanda Takai, “Regresso” foge das relações interpessoais e fala diretamente sobre autoexploração e autoconhecimento. Nessa faixa, a vocalista traz também um pouco de sua carreira solo, tendo sua origem “em alguns versos de meu parceiro Climério Ferreira, poeta piauiense presente em meus discos solos”, segundo Takai.


“Ele aparece pela primeira vez num disco do Pato Fu, na faixa produzida por Dudu Marote que traz um ambiente pulsante, sugerindo um mergulho pra dentro de nós mesmos”, afirma a artista.


“Deus fala pelo cano de meu revólver / E a bíblia é o meu silenciador”, esses são versos da primeira estrofe de “Silenciador”, que carrega o peso político dessa segunda leva de singles. John Ulhoa associa a exploração da fé com poder e violência.


“Recentemente acho que cheguei a bom termo com a religiosidade de muitos amigos, das mais variadas correntes. Inclusive com a função social de muitas instituições denominadas “cristãs”. Mas, pra minha tristeza, isso veio justamente no mesmo momento histórico da mais virulenta mistura de política e religião que já testemunhei”, explica o guitarrista.


Finalizando: “Dizem que a fé move montanhas, mas quando é usada pra validar violência e preconceito, não é de fé que se trata, o nome é outro”.


Formada por John Ulhoa, Fernanda Takai, Ricardo Koctus, Xande Tamietti e Richard Neves, a Pato Fu continua, com esse lançamento, sua jornada de comemoração de 30 anos, que irá resultar em um novo EP da banda e na turnê ‘Pato Fu 30 Anos’. A terceira e última instância desse caminho será em março.


Viva o Pato Fu!

122 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page