top of page
  • Foto do escritorLucas Lima

Os 20 anos de "Admirável Chip Novo" é um marco para o rock brasileiro

Álbum lançado por Pitty em 2003 é celebrado com turnê pelo Brasil


Pitty celebra 20 anos do álbum "Admirável Chip Novo"
Foto: Divulgação

Sempre quando falamos sobre renovação do rock brasileiro, citamos alguns períodos importantes, onde o gênero se destacou e trouxe boas novas bandas. Um desses períodos são os anos dois mil. Há quem diga que com menos intensidade, se compararmos à efervescência dos anos 90, por exemplo. Mas uma roqueira baiana, que já fazia os seus "corres" na cena independente em anos anteriores, emergiu com um álbum que ficou na história, o aclamado "Admirável Chip Novo". A cantora, no caso, era a Pitty, que, claro, não precisa de apresentações


Com título inspirado na distopia "Admirável Mundo Novo"(Aldous Huxley), o debute de Pitty veio com um lado A repleto de hits: "Teto de Vidro", "Admirável Chip Novo", "Máscara" e a balada romântica "Equalize". O disco ainda conta com pedradas que mostram o quanto a banda, que era formada por Peu Sousa (guitarra), Dunga (baixo) e Duda Machado (bateria), estava azeitada.


Outros clássicos, em especial para árduos fãs de Pitty, nasceram desse registro, tais quais como "O Lobo", "Emboscada" e "Temporal". O lançamento foi feito pela Deckdisc e a produção foi assinada por ninguém menos que Rafael Ramos. No álbum, ainda temos as presenças ilustres de Jaques Morelembaum (Cello), Ricardo Amado (Violino), Paulinho Moska (violão), Luciano Granja (violão) e diversos outros convidados.


Os 20 anos


"Admirável Chip Novo" foi um portal, um novo prato de referências para que outras bandas pudessem surgir nos anos seguintes. E ainda é. As canções envelheceram muito bem e serviram como ponto inicial perfeito para Pitty, que, assim como todos os artistas, foi buscando novos caminhos para o seu som de tempos em tempos.


Em comemoração aos 20 anos de lançamento do álbum, a artista anunciou a turnê ACNXX, que vai rodar o Brasil com o repertório do registro sendo executado na íntegra, porém, com novos arranjos. "Não é para ser o que ele era em 2003, é para ser o que ele é agora, o que essas músicas representam hoje. Faremos novos arranjos, respeitando os originais, mas com elementos novos, usando as tecnologias disponíveis, interpretando o disco hoje”, conta Pitty.


Pitty, que também assina a direção do show, será acompanhada por sua banda Martin Mendonça (guitarra), Paulo Kishimoto (baixo) e Jean Dolabella (bateria).


Na WePlay, a primeira plataforma de streaming de shows brasileiros, você assiste a shows que marcaram as diversas fases da carreira de Pitty.

155 visualizações
bottom of page